Ponta Grossa vibra com o futebol do Fantasma da Vila

Esporte

15 de setembro de 2020 11:59

Da Redação


Relacionadas

Justiça acata pedido e suspende Palmeiras x Flamengo

Paulo Borrachinha luta pelo cinturão do UFC nesta noite

Fluminense tem nove jogadores com covid-19

‘De folga’, Operário seca adversários no fim de semana
Chapecoense empata com o América-MG e sobe para 3º
Atlético-GO marca nos acréscimos e elimina Fluminense
Santos vence fora de casa e encaminha vaga na Libertadores
Time centenário vive atualmente uma das melhores fases da sua história Foto: Foto: Otto Drone
PUBLICIDADE

História do clube se confunde com a história da cidade. Torcida tem papel fundamental para esse progresso

O Fantasma de Vila Oficinas não tem esse mascote à toa, além de assombrar os adversários, o alvinegro carrega em cada partida toda a paixão de uma cidade inteira que vibra com cada vitória. Ponta Grossa é um importante município para o país pelo seu entroncamento viário e nele nasceu um clube que hoje reforça ainda mais o poder da nossa região.

“A história do Operário Ferroviário se confunde com a história da cidade de Ponta Grossa. O futebol chega na cidade em 1909, com os ingleses que vieram construir a Estrada de Ferro São Paulo-Porto Alegre. Três anos depois, em 1912, os trabalhadores da ferrovia se reúnem oficialmente para fundar o Operário. O alvinegro desde o início ganha enorme simpatia da cidade e assim se mantém”, explica Ângelo Luiz De Col Defino, Médico Pediatra e pesquisador da história do Operário Ferroviário.

“Mesmo os adversários mais ferrenhos em tantos clubes reconheciam que o Operário levava mais de dois terços da torcida da cidade, embalado por ser o time do povo ponta-grossense, que recebia jogadores de todas as raças e classes sociais e lotava os estádios com grandes campanhas. O Operário, então, nesses seus 108 anos, torna-se um patrimônio cultural da cidade de Ponta Grossa”, reforça o pesquisador.

“Ser operariano é diferente, é conseguir viver o dia a dia do time, conhecer de perto, ter a experiência, achar o craque na rua. É divertido demais isso, porque você percebe que essa identificação você só encontra em PG. Isso que é bom de apoiar o time da cidade, é bom porque a gente segue de perto as coisas, consegue ver quando a cidade apoia e abraça o time”, diz Danilo Schleder, jornalista e torcedor apaixonado do Fantasma da Vila.

Segundo o pesquisador da história do Operário, a atual campanha na elite do Campeonato Paranaense e na Série B torna o clube como um embaixador da cidade pelo país.

“Por várias vezes vimos nos principais meios de comunicação do país a exaltação da beleza dos jogos em Ponta Grossa, com destaque para o estádio sempre com grande público e uma nova geração de torcedores sendo formada. Sem dúvida o Operário é um dos grandes embaixadores, estando na grande mídia brasileira citado como exemplo de planejamento, seriedade, paixão e organização”, conclui Ângelo Defino.

PUBLICIDADE

Recomendados