Conceito de ‘condo-hotel’ se torna sucesso em PG

Ponta Grossa

16 de outubro de 2020 17:38

Fernando Rogala


Relacionadas

Comércio de PG amplia as vendas em setembro

Indefinição impede acerto do horário especial de Natal

Pesquisadores da UEPG entre os melhores do mundo

Barbearia Santiago inova e amplia a oferta de serviços
Rede São Camilo arrecada alimentos no 'Natal Solidário'
Empresária da 'Car'la Wash' recebe prêmio da Fecomércio
Click Odontologia inicia plantão de atendimento aos sábados
PUBLICIDADE

Projeto se destaca como sociedade, em que investidores compram quartos, e depois, através da administradora, dividem os lucros

Conceito mundialmente difundido e reconhecido, a modalidade de condo-hotel chegou em Ponta Grossa e consolidou-se como um sucesso. Diferente de um hotel ‘normal’, esse modelo se destaca como uma sociedade, em que investidores adquirem apartamentos (quartos), e depois garantem o retorno financeiro com as operações hoteleiras, recebendo um percentual da receita total do negócio. A administração é exercida por empresa hoteleira especializada, o que garante alta perspectiva de retorno do capital.

Em Ponta Grossa, um dos empreendimentos pioneiros foi o do Ramada Encore, que está sendo construído na rua Emílio de Menezes, em Oficinas, ao lado do Estádio Germano Krüger. O projeto, executado pela construtora Pedra do Sol Empreendimentos, teve a escolha dessa bandeira internacional, pertencente à Wyndham Hotels, uma das maiores redes hoteleiras do mundo. “Nessa modalidade que estamos construindo, vendemos os apartamentos, e com o dinheiro dessa venda, construímos o hotel. O prédio vai pertencer a quem comprou, mas quem vai administrar vai ser o Ramada, com quem fechamos o contrato”, explica José Francisco de Freitas, diretor da construtora.

Segundo ele, trata-se de algo muito executado no exterior, e que agora começa a se expandir pelo Brasil. “Mais de 90% dos hotéis construídos no mundo são nessa modalidade. O que poucas pessoas sabem é que hotéis de bandeiras como Hilton, Sheraton, Trump, entre outros, não detêm o ativo físico: elas são prestadoras de serviço, administradoras hoteleiras”, ressaltou. Neste caso, por exemplo, as próprias matrículas dos apartamentos são individualizadas, o que possibilita, inclusive, a venda futura daquela unidade, que está em um empreendimento com constante valorização.

Na prática, para os hóspedes do hotel, é tudo igual, não há diferença: não há moradores, apenas hóspedes. Para os investidores, também não importa a ocupação do quarto, pois o lucro é dividido igualmente entre os investidores. Assim, o investidor compra ou mais quartos e concede o uso dos quartos a administradora, que responde por todo gerenciamento negócio, recebendo todas as receitas (quartos, bar, restaurante, salão, estacionamento, entre outros), e pagando todas as despesas (como impostos, funcionários e manutenção). “Ele vai simbolizar um percentual no negócio. Por exemplo, se no final sobra o lucro de R$ 300 mil, se há 150 apartamentos, são R$ 2 mil para cada. Se um investidor tiver 15 apartamentos, ele vai receber R$ 30 mil”, explica.

Hoje, o projeto foi viabilizado e avança para a fase final, para a entrega em 2021. Porém, há mais de três anos, quando o projeto começou a ser apresentado na cidade, houve certo receio dos potenciais investidores. “No começo foi difícil, porque o ponta-grossense é mais retraído, e nunca nada foi ofertado nesse formato, então eles ficaram desconfiados. Precisamos doutrinar, com ações de marketing, explicando, então eles foram entendendo e fomos vendendo, até que o projeto alcançou a patente de sucesso total”, esclarece o diretor.


Retorno rápido é garantido

Como retorno, Freitas explica que a renda é maior que a de alugueis residenciais ou comerciais, e não há preocupações comuns aos locadores. “A média mensal é de R$ 2,2 mil por mês de rentabilidade por apartamento”, declara. Além de tudo isso, como benefício adicional, o sócio-investidor poderá se hospedar em qualquer hotel da rede no mundo com uma tarifa especial reduzida. Segundo o próprio grupo, a rede Wyndham é a maior e mais diversa empresa hoteleira do mundo, englobando mais de 9 mil hotéis por 20 marcas em 80 países.

 

Últimas unidades do Ramada Encore estão à venda

O projeto do Ramada em Ponta Grossa conta com a execução de um prédio de 15 pavimentos e 156 apartamentos, previsto para ser inaugurado no segundo semestre de 2021. Pertencente à categoria econômico premium, o Ramada Encore terá ampla recepção, rooftop bar, espaço para eventos, academia e área operacional a funcionários. Aos interessados, o diretor revelou que ainda há algumas unidades à disposição de investidores. “As últimas unidades estão à venda pelo preço de R$ 240 mil, direto com a Construtora Pedra do Sol Empreendimentos”, informou. O contato da construtora pode ser feito através do telefone 3323-5689.

PUBLICIDADE

Recomendados